Escrita terapêutica: descubra como acalmar a mente escrevendo

mulher sentada praticando a escrita terapêutica

Você já experimentou escrever sobre seus sentimentos ao passar por um período de estresse? Se sim, é bem provável que a partir disso tenha conseguido passar pela situação de maneira mais confortável. Esse processo que descrevemos é chamado de escrita terapêutica e, acredite, pode trazer uma série de benefícios para a sua saúde mental – e até mesmo física.

O mais legal dessa prática é que ela é relativamente fácil de ser incorporada na rotina e não tem regras específicas para ser exercida. Basta que você tenha papel e caneta em mãos e esteja disposto a escrever sobre as situações que tem vivido e seus sentimentos em relação a elas.

Por outro lado, algumas dicas podem ajudar a vivenciar com mais plenitude os benefícios da escrita terapêutica. Dessa forma, convidamos você a conferir as informações que selecionamos e mergulhar no universo do autoconhecimento. Vamos nessa?

conheça os benefícios da escrita terapêutica

O QUE É ESCRITA TERAPÊUTICA?

A escrita terapêutica consiste em escrever livremente sobre os sentimentos, sem se preocupar com estrutura do texto, rimas ou regras gramaticais. A prática pode ser feita em qualquer lugar, por qualquer pessoa, com foco em qualquer questão.

Um dos estudiosos da escrita terapêutica foi o psicólogo James W. Pennebaker. No final dos anos 80, o profissional orientou um grupo a escrever sobre um trauma vivido, expressando emoções e pensamentos.

Seus estudos concluíram que o grupo, em relação a outras pessoas analisadas, fez significativamente menos visitas a um médico nos meses seguintes. Além disso, embora muitos tenham relatado certa angústia e tristeza ao entrar em contato com sentimentos e sensações pela escrita, também apontaram como valiosa a forma terapêutica que acessaram tais emoções.

BENEFÍCIOS DA ESCRITA TERAPÊUTICA

Primeiramente, colocar os sentimentos no papel pode ajudar na solução de problemas represados. Assim, a escrita terapêutica ajuda a aliviar o estresse e lidar com a ansiedade, passar por lutas e perdas, compreender questões de relacionamento e por aí vai. Em resumo, os benefícios para a saúde mental são inúmeros.

Mas não é só isso. Também existem estudos que mostram que entrar em contato com os sentimentos pela escrita pode alterar respostas fisiológicas de doenças crônicas, apresentando melhoras no quadro de saúde de pacientes.

Nesse sentido, o The Journal of the American Medical Association publicou um estudo no qual o exercício de escrita foi proposto para mais de 100 pacientes com asma e artrite reumatóide. O resultado é que os participantes que escreveram sobre o evento mais estressante de suas vidas experimentaram melhores avaliações de saúde relacionadas à sua doença.

como funciona a escrita terapêutica

COMO COMEÇAR A PRATICAR A ESCRITA TERAPÊUTICA

Como falamos, a escrita terapêutica não possui regras rígidas. Entretanto, algumas dicas podem ajudar você a iniciar o processo ou até mesmo otimizar os benefícios da prática. Dessa forma, vale conferir as seguinte sugestões:

  • Como quase tudo na vida, o segredo é começar. Para que os resultados sejam mais efetivos, procure fazer da escrita um hábito. Portanto determine quantos dias por semana você irá se dedicar à prática e por quanto tempo. Se possível, especifique um horário para realizá-la;
  • Tenha em mente que você está escrevendo para si mesmo. Assim, não é preciso se preocupar com o que alguém pensaria caso lesse seus escritos. Desapegue também das questões de gramática e ortografia quando estiver escrevendo;
  • Separe um caderno para praticar. É legal de tempos em tempos reler o que você escreveu e avaliar como as suas emoções vêm se desenvolvendo;
  • Os exercícios de escrita mais comuns são os de desabafo, diário e organização das ideias. Mas existe uma gama de possibilidades que vão depender de cada pessoa e do seu objetivo;
  • Por fim, focar a escrita no sentimento, e não na situação, pode facilitar a análise das emoções. Assim, escrever que algo deixou você muito triste pode ser mais elucidativo do que dizer que o fez chorar. Ou seja, busque sempre colocar no papel o que não é tão simples de ser observado.

E então, o que você achou do processo de escrita terapêutica? Você tem o hábito de colocar no papel as coisas que você sente? Conta pra gente nos comentários!


* Confira também aqui no blog o post Você dorme bem? Saiba como melhorar a qualidade do sono.

** Com informações de Correio Braziliense e Escrita terapêutica: entenda o que é e como praticá-la pode lhe auxiliar a compreender emoções, sentimentos e necessidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.