Crianças e celular: qual é a idade certa e quais cuidados tomar?

crianças e celular qual é a idade certa

Qual é a idade ideal para apresentar celulares e outros dispositivos eletrônicos para as crianças? E quanto tempo de exposição diária às telas pode ser considerado saudável? Quando o assunto é crianças e celular, essas dúvidas frequentemente acometem os pais, afinal estamos nos conectando cada vez mais cedo à internet e às redes sociais.

A pesquisa Crianças e Smartphones no Brasil, realizada em 2019 pela Panorama Mobile Time/Opinion Box, aponta que 83% das crianças brasileiras de 0 a 12 anos acessam um smartphone, seja próprio ou emprestado dos responsáveis. Além disso, o levantamento mostra que na faixa etária entre 4 e 6 anos de idade, 30% das crianças já possuíam um celular próprio.

Ao mesmo tempo em que a tecnologia pode ser fonte de entretenimento, conhecimento e socialização, diversos estudos indicam que o uso excessivo de smartphones é prejudicial para o desenvolvimento de crianças. Assim, reunimos algumas dicas de especialistas que podem auxiliar você a promover uma relação saudável entre crianças e celular. Bora conferir?

pai e filho usando o celular

CRIANÇAS E CELULAR: A PARTIR DE QUAL IDADE?

Em relação à criança ter um dispositivo próprio, ou seja, caso os pais estejam pensando em presenteá-la com um smartphone, essa situação deve ser analisada com cuidado.

Não existe uma idade certa, o que deve ser levado em consideração é a maturidade da criança e também a capacidade dos pais de fazerem um acompanhamento do uso. Além disso, a Sociedade Brasileira de Pediatria incentiva os pais a limitarem o acesso das crianças aos aparelhos conforme a faixa etária:

    • Até dois anos: o ideal é que a criança não tenha contato com smartphones e outras telas;
    • Entre dois e cinco anos: limitar o contato ao máximo uma hora por dia;
    • Dos seis aos 10 anos: recomenda-se o uso por no máximo duas horas por dia, sempre com supervisão;
    • Entre 11 e 18 anos: a recomendação é restringir a duas ou três horas, com supervisão.

estudante usando o smartphone

QUAIS OS CUIDADOS EM RELAÇÃO AO USO EXCESSIVO DO CELULAR?

A Sociedade Brasileira de Pediatria alerta que diversas pesquisas têm revelado aumento dos riscos à saúde de crianças e adolescentes por causa do uso excessivo de telas, especialmente em relação ao desenvolvimento de problemas comportamentais. 

Atenta a esse problema, a SBP criou o Manual de Orientação #MenosTelas #MaisSaúde com o objetivo de promover a saúde e o bem-estar de crianças e adolescentes em contato constante com tecnologias digitais, como smartphones, computadores e tablets. Confira quais são as principais orientações

    • Evitar telas durante as refeições e desconectar uma a duas horas antes de dormir;
    • Oferecer como alternativas: atividades esportivas ao ar livre ou em contato direto com a natureza, sempre com supervisão responsável;
    • Não permitir que as crianças e adolescentes fiquem isolados nos quartos com televisão, computador, smartphones ou com uso de webcam. Ou seja, estimule o uso de tais dispositivos nos locais de uso comum da casa;
    • Criar regras saudáveis para o uso de equipamentos e aplicativos digitais, além das regras de segurança, senhas e filtros apropriados para toda família;
    • Evitar encontros com desconhecidos online ou offline. Saber com quem e onde seu filho está, e o que ele está acessando, é responsabilidade legal dos pais/cuidadores;
    • Conteúdos ou vídeos com teor impróprio para crianças e adolescentes devem ser denunciados e retirados pelas empresas de entretenimento ou publicidade responsáveis.

Por fim, lembre-se que as crianças apenas espelham os adultos. Dessa forma, se os próprios pais fazem uso excessivo da tecnologia, é natural que os filhos queiram imitá-los. Portanto, vale a pena repensar o uso das telas entre os integrantes de toda a família! 🙂

E então, o que você achou das informações que selecionamos? Você tem alguma dica sobre controle do uso excessivo de celular pelas crianças? Como funciona na sua casa? Conta pra gente nos comentários!


* Confira também aqui no blog o post Crianças e animais de estimação: conheça 7 benefícios do convívio.

** Com informações de Sociedade Brasileira de Pediatria e da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.