Como educar as crianças sobre dinheiro? Veja 7 estratégias para implementar em casa!

A educação financeira é uma habilidade essencial que todos devemos possuir desde cedo. Não há dúvidas de que, quanto antes nos familiarizarmos com o uso do dinheiro, melhor será a nossa relação com as finanças no futuro. Mas, qual é a hora certa de começar a falar com os pequenos sobre o assunto? Como educar as crianças sobre dinheiro?

Em entrevista ao portal G1, especialistas afirmam que é possível falar de dinheiro com crianças de 5 e 6 anos de forma dinâmica por conversas ou jogos. Já com os menores, de 2 e 3 anos, é preciso ter uma explicação lúdica, para uma maior compreensão.

Se você acredita que chegou o momento de abordar o assunto com a sua turminha, aqui estão algumas dicas que podem facilitar esse processo. Conheça algumas formas de como educar as crianças sobre dinheiro e prepará-las para um futuro financeiro mais tranquilo e planejado!

7 dicas de como educar as crianças sobre dinheiro

1) Leia histórias envolventes sobre o tema

Os livros desempenham um papel fundamental na formação da educação financeira nas crianças, oferecendo narrativas cativantes e lições importantes sobre o mundo do dinheiro. E para crianças menores, essa pode ser uma ótima forma de introduzir o tema.

Títulos como “O Pé de Meia Mágico”, “João e o Pé de Feijão”, “A Menina, o Cofrinho e a Vovó” e “Como Cuidar do Seu Dinheiro” são algumas das opções indicadas por especialistas.

2) Introduza as finanças em brincadeiras simples

Usar brincadeiras cotidianas para abordar finanças é uma maneira eficaz e acessível de ensinar conceitos importantes às crianças. 

Você pode, por exemplo, utilizar produtos da sua despensa para simular um mercado. Deixe que as crianças escolham itens, atribuam preços e até mesmo atuem como caixa registradora. Isso não apenas ensina sobre a importância das compras, mas também sobre a troca de dinheiro e o básico de fazer transações.

3) Recorra a jogos de tabuleiro

Explorar o universo da educação financeira pode ser uma jornada empolgante para as crianças, especialmente quando transformamos o aprendizado em uma experiência lúdica. 

Jogos de tabuleiro, como Banco Imobiliário e Jogo da Vida, se revelam como excelentes aliados nesse processo, proporcionando diversão enquanto introduzem conceitos financeiros de maneira prática e envolvente.

4) Considere oferecer uma mesada

A mesada é uma maneira prática de introduzir a criança ao mundo do dinheiro. Ela aprende a gerenciar suas finanças, percebendo a importância de uma vida financeira equilibrada, gastando com responsabilidade e poupando parte do dinheiro para o futuro. 

Essa medida também ensina a criança a priorizar, compreender a diferença entre o que é caro e barato, e a planejar seus gastos. Além disso, ao cumprirem com a frequência, data e quantia combinadas, os pais proporcionam à criança a oportunidade de se organizar e ter controle sobre seu próprio orçamento. 

Em entrevista ao UOL, o educador financeiro Álvaro Modernell, recomenda que até os 6 anos de idade os pais deem eventualmente uma quantia para que a criança possa se familiarizar com o uso do dinheiro. A partir dos 6 ou 7 anos pode-se introduzir a mesada com periodicidade semanal – a chamada semanada.

5) Estipule para que serve a mesada

De acordo com Modernnel, é importante evitar que a mesada seja utilizada para cobrir despesas específicas, especialmente quando a criança é pequena. Por quê? Para evitar a possibilidade de ela optar por trocar itens essenciais, como o lanche na escola, pelo valor em dinheiro. 

Na fase inicial da infância, a mesada não deve abranger despesas como roupas, sapatos e atividades extracurriculares, como aulas de esportes, natação ou idiomas. 

Outro ponto de atenção é não condicionar a mesada a responsabilidades fundamentais da criança, como tirar boas notas ou manter seu espaço organizado. A criança precisa compreender que possui obrigações que não devem ser incentivadas ou trocadas por dinheiro.

6) Ajude a estabelecer um objetivo financeiro

Se a criança já recebe mesada, você pode ajudá-la a estabelecer metas financeiras simples, como economizar para um brinquedo desejado. Isso não apenas ensina sobre planejamento, mas também reforça a ideia de que o dinheiro pode ser usado para alcançar objetivos específicos.

7) Aborde a diferença entre desejo e necessidade

Falar sobre a distinção entre desejos e necessidades é um passo fundamental quando o assunto é como educar as crianças sobre dinheiro. Portanto, procure transmitir a ideia de que necessidades compreendem elementos fundamentais, como alimentação e moradia, enquanto desejos referem-se a itens adicionais e supérfluos. 

Uma estratégia eficaz é utilizar o próprio orçamento como um exemplo prático. Ao compartilhar com as crianças como o dinheiro é distribuído para atender às necessidades essenciais em primeiro lugar, como alimentação e moradia, você demonstra a prioridade que deve ser dada a esses aspectos.

Ao cultivar essa consciência desde cedo, as crianças desenvolvem a habilidade de tomar decisões financeiras mais ponderadas e alinhadas com uma visão equilibrada de prioridades. 

Esperamos que as dicas que compartilhamos sobre como educar as crianças sobre dinheiro possam auxiliar você nesse processo tão importante de desenvolvimento dos pequenos. Tem alguma sugestão para compartilhar conosco? Quer ver mais assuntos como esse por aqui? Conta pra gente nos comentários!


* Confira também aqui no blog o post 6 motivos para utilizar curativos ilustrados para cuidar de pequenos ferimentos das crianças.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *